Representantes do Movimento Pró Saúde, Prefeitura de Tucuruí e Câmara Municipal participaram nesta quarta-feira (12) de uma visita às instalações da Unidade de Média de Alta Complexidade em Oncologia Dr. Vitor Moutinho (Unacon), onde deverá ser implantado o Centro de Hemodiálise no município.

A implantação do Centro de Hemodiálise vai por fim a um problema antigo que aflige os pacientes renais crônicos da região de Tucuruí. Hoje, quem busca atendimento, precisa ir a Belém, Marabá e Ulianópolis. Em Tucuruí, 332 pacientes se tratam nestas cidades e aas vezes precisam ir até São Paulo ou Curitiba, com alto custo social para o Estado e as famílias.

O Prefeito Artur Brito participou da visita e destacou que o município tem articulado junto ao governo do Estado a implantação do Centro o mais breve possível. Quando instalado, o Centro de Hemodiálise vai proporcionar tratamento de qualidade e humanizado para pacientes de 12 municípios da região. “Isso vai reduzir tempo e custos com deslocamento para o tratamento bem como amenizar o sofrimento das famílias”, destaca o gestor.

Quando implantado, os pacientes renais crônicos de Tucuruí e municípios vizinhos poderão contar com um centro completo de tratamento que deverá ser instalado na Unacon.

O valor total da obra é de R$ 5.775 milhões. O centro funcionará 24 horas por dia com um total de 17 máquinas, sendo 13 máquinas na Sala Principal, 2 máquinas na Sala B e outras 2 máquinas de reserva. A previsão é atender inicialmente 90 pacientes locais que antes faziam suas sessões de hemodiálise em Marabá.

Ademar Ribeiro, presidente da Apovo, falou que a visita é importante para que os grupos que estão lutando pela implantação do Centro possam conhecer a realidade da Unidade e preparar um diagnostico mais preciso sobre o que pode ser articulado pelos movimentos sociais, a Prefeitura, a Câmara de Vereadores e a sociedade de modo geral.