Autoridades assinam protocolo de intenção que oficializa os esforços para a criação de Polo Industrial para atrair investimentos e produzir produtos e serviços para que Tucuruí volte a crescer

Produtores rurais, comerciários e de Tucuruí e região testemunharam ontem a noite (8) o primeiro passo dado para a implantação do Polo Industrial de Tucuruí. O prefeito do município, Jones William (PMDB), o vice, Artur Brito (PV), e parte do secretariado receberam nesta quinta-feira (8) a comitiva do governo do Estado no auditório da Associação Comercial e Industrial de Tucuruí (ACIT) para assinarem o documento que vai fomentar a instalação do Polo para atrair inúmeros investimentos e produzir produtos e serviços com a finalidade de retomar o crescimento da economia do município.

Quando instalado, o Polo Industrial vai oferecer estrutura para o desenvolvimento de projetos que atendam vários segmentos da economia local, viabilizando a instalação de novas empresas e proporcionar o desenvolvimento das empresas já instaladas no município.

Além de formalizar a intenção do governo do Estado em investir na concretização do polo industrial, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, também apresentou o programa Pará 2030 às autoridades, políticos e empresários de sete municípios do Lago de Tucuruí.

O prefeito de Tucuruí, Jones William, avalia como positiva a estratégia de crescimento do Estado, que para ele, vem ao encontro dos anseios da população paraense. “Tucuruí sempre viveu em decorrência de grandes obras. A cidade ficou com uma demanda grande de pessoas desempregadas. Agora vemos um grande projeto ser implantado e Tucuruí é parceiro nesse empreendimento do desenvolvimento da cidade e do nosso Pará”, disse o Prefeito.

Autor da Proposta de criação do Distrito Industrial, o vereador Nilvan Oliveira (PSC) vê no empreendedorismo e nos investimentos em capacitação a melhor alternativa para fomentar o desenvolvimento sustentável que a população de Tucuruí tanto precisa. “Fico muito feliz por ter participado de ações de apoio ao desenvolvimento no município. O projeto acontecendo, vai proporcionar um grande horizonte de investimentos para nossa região e isso, na minha visão, é fazer com que as políticas públicas cheguem a quem mais precisa”, observa o vereador.

Nilvan é autor da primeira proposição na Câmara (001/2017) para a viabilização de estudos de implantação do Distrito Industrial. O vereador também faz parte do Comitê formado para deliberar sobre o assunto em Tucuruí.

Para o vice Artur Brito, A importância de Tucuruí para a região e para o Estado é fator determinante para colocar o município na rota de investimentos. “Fatores como a capacidade de escoamento e a implantação do Polo Industrial, são fatores determinantes para que as empresas tenham interesse em investir no município. Essa é uma grande conquista do povo de Tucuruí”, avalia o vice.

A assinatura do protocolo de intenção, documento que oficializa a relação entre o município e o Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico (Codec) é o primeiro passo para que o planejamento estratégico, elaborado pelo Governo do Pará, comece a ser fomentado geando desenvolvimento sustentável e investimentos em cadeias produtivas no município.

Pará 2030 é apresentado na região do Lago de Tucuruí 

Além da histórica assinatura da carta de intenção, o evento também marcou a apresentação do Programa Pará 2030, feito pelo secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Adnan Demachki. “Proporcionar ao povo paraense a oportunidade de determinar seu próprio futuro através de empreendedorismo, emprego e justiça social. Todos têm que ter a chance de procurar o melhor e prosperar. A síntese do projeto é quebrar os entraves para que o Pará possa crescer os níveis de produção e agregar valor a essa produção”, afirma o secretário.

O Pará 2030 é o planejamento estratégico do Estado para os próximos 15 anos, priorizando a verticalização da produção e diversificando a economia. As principais ações a serem desenvolvidas e apoiadas pelo Governo do Pará estão alinhadas com foco nos cinco eixos previamente definidos no Programa, que são Marca Amazônia; Atração de Investidores; Capacitação e Formação; Regularização e Licenciamento Ambiental; Regularização Fundiária.

Atualmente, o Produto Interno Bruto (PIB) per capta do Pará – a soma das riquezas produzidas no Estado, dividida pela população – é de R$ 15,2 mil, enquanto a média nacional é quase o dobro: R$ 26,5 mil. A intenção é elevar os níveis de produção em direção à meta de crescimento de 5,3% ao ano, para igualar o Produto Interno Bruto (PIB) estadual ao PIB per capita nacional até 2030. Um total de 23 cadeias econômicas foram estudadas, sobretudo as de maior potencial de crescimento, geração de renda e empregos, e delas 14 foram eleitas para receber ações prioritárias.

Adnan Demachki enfatizou que o Pará 2030 é um programa estadual com foco regionalizado, considerando a vocação natural das regiões de integração do Pará. O secretário apresentou os programas e ações que já foram implementados, como o Pará Profissional, programa de qualificação profissional que já começa a atender às cadeias econômicas do Pará 2030.

Estiveram também presentes na sede da ACIT os secretários estaduais Luís Fernandes (Meio Ambiente), Maria Amélia (adjunta de Ciência e Tecnologia) e Joy Colares (adjunto de Turismo); o presidente da Companhia de Desenvolvimento do Estado, Olavo das Neves; a presidente da Junta Comercial do Estado Presidente, Cilene Sabino; o presidente da Associação Comercial do Pará, Fábio Lúcio; o presidente do Instituto de Terras do Pará, Daniel Lopes; o presidente do Ideflor-Bio, Thiago Valente; a deputada estadual Eliane Lima; o vice-presidente da Federação de Agricultura e Pecuária, Jahyr Seixas; o gerente do Sebrae, Marcelo Araújo; o prefeito de Tucuruí, Jones Williams; e o presidente da ACIT Marcelo Silva.