Prefeitura esclarece sobre casos de Doença de Chagas

1857

NOTA DE ESCLARECIMENTO REFERENTE AOS CASOS DE DOENÇAS DE CHAGAS EM TUCURUÍ

A Vigilância Sanitária e a Epidemiológica de Tucuruí estão em alerta máximo nas últimas semanas com a doença de Chagas que acometeu uma família da cidade. Até agora três casos já foram confirmados pelo Laboratório Central do Estado do Pará – LACEN/PA, mas com a forma aguda da doença.

Confira a Nota Técnica

Os três pacientes com a doença de Chagas estão recebendo acompanhamento ambulatorial e sendo medicados. Os outros membros da família, que também consumiram o produto, estão sendo acompanhados pela equipe da secretaria municipal de Saúde e já realizaram os exames laboratoriais necessários.

Pelas investigações realizadas pela equipe de saúde aumentam as suspeitas que o alimento envolvido no surto, seja o vinho do açaí, pois os pacientes relataram à equipe que consumiram açaí manipulado em uma amassadeira localizada na área urbana do município que após visita in loco pela equipe da Vigilância Sanitária, foi constatado que o estabelecimento já não está em funcionamento.

A Prefeitura de Tucuruí irá realizar uma reunião emergencial na próxima sexta-feira (9), para intensificar as Campanhas de Conscientização das boas práticas no preparo do vinho de açaí para os produtores, assim como as inspeções nos estabelecimentos.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA TÉCNICA

NOTA INFORMATIVA SOBRE CASOS DE DOENÇAS DE CHAGAS NO MUNICÍPIO DE TUCURUÍ

A Prefeitura de Tucuruí, através da Secretaria Municipal de Saúde, informa que foram confirmados três (03) casos em Tucuruí com a Doença de Chagas pelo Laboratório Central do Estado do Pará – LACEN/PA. Segundo as Coordenações municipais de Vigilância Sanitária e Epidemiológica, todas as pessoas infectadas são da mesma família e apresentaram a forma aguda da doença.

A principal forma de transmissão da doença de Chagas na região Amazônia é por via oral e um dos alimentos mais envolvidos nesses surtos é o vinho do açaí, devido à falta das boas práticas de higiene na produção do mesmo.

Pelas investigações realizadas pela equipe de saúde aumentam as suspeitas que o alimento envolvido no surto, seja o vinho do açaí, pois os pacientes relataram à equipe que consumiram açaí manipulado em uma amassadeira localizada na área urbana do município que após visita in loco pela equipe da Vigilância Sanitária, foi constatado que o estabelecimento já não está em funcionamento.

. Outro fato, que levou as autoridades sanitárias a suspeitar que a contaminação se deu pelo açaí é que as pessoas da família encontraram dentro da embalagem um inseto, muito parecido com o barbeiro, inclusive informaram à Vigilância Sanitária local, porém não haviam guardado nem a amostra do açaí e nem o inseto.

No dia 27/01/18, passados 15 dias do consumo do açaí, alguns membros da família começaram a apresentar os sintomas (febre persistente, astenia, diarreia e vômito). Os mesmos procuraram uma unidade de saúde, onde foram coletadas as amostras de sangue desses pacientes e encaminhadas ao LACEN/PA.

No dia 01/03/18, a coordenação de Vigilância epidemiológica recebeu a confirmação do LACUN/PA dos casos suspeitos.

Os três pacientes confirmados com doença de Chagas estão fazendo acompanhamento ambulatorial com medicação. Os outros membros da família, que consumiram também o produto, estão sendo acompanhados pela equipe de saúde e já realizaram os exames laboratoriais necessários no sentido de detectar o mais rapidamente possível, caso estejam com a doença.

A Secretaria Municipal de Saúde informa que os profissionais de saúde das Unidades de Saúde estão sendo orientados para ficarem em alerta para qualquer caso suspeito com sintomas da doença de Chagas.

DOENÇA DE CHAGAS E O AÇAÍ

A doença de Chagas é uma inflamação causada pelo parasita Trypanosoma cruzi, transmitida pelo barbeiro (Triatoma brasiliensis), e seus sintomas parecem muito com o da Malária, entre os principais sintomas estão febre, inchaço e problemas cardíacos, que, em estado mais avançado, levam o paciente à morte.

ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DO AÇAÍ AJUDA NA PREVENÇÃO

A contaminação ocorre quando há falta de higiene no processo de beneficiamento do açaí, por isso devemos ter cuidado com todo e qualquer alimento consumido. A coordenadora da Vigilância Sanitária ressalta que, o açaí não pode ser visto como vilão, o vilão é a falta de higienização no preparo do produto. É necessário o comprometimento de todos os envolvidos na cadeia produtiva para melhorar a qualidade do processamento do fruto para obtenção de um produto seguro.

A técnica do peneiramento e lavagem associada à do branqueamento do açaí é de fundamental importância para minimizar os riscos de contaminação do produto.

A Coordenação de Vigilância Sanitária informa que vem realizando campanhas de conscientização dos produtores em relação às boas práticas de higiene na produção do açaí. Em julho do ano de 2017, foi realizado o Curso de Capacitação para 138 batedores de açaí do município de Tucuruí pelos técnicos da Divisão de Controle de Qualidade dos Alimentos da SESPA em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, através do Departamento de Vigilância Sanitária.

A Prefeitura de Tucuruí, através do Departamento de Vigilância Sanitária irá intensificar as Campanhas de Conscientização das boas práticas no preparo do vinho de açaí para os produtores, assim como as inspeções nos estabelecimentos.

As Coordenações municipais de Vigilância Sanitária e Epidemiológica realizarão nesta sexta-feira (9), uma reunião emergencial com todo os envolvidos com amassadeiras de açaí, para cobrar a intensificação das técnicas já repassadas através dos cursos de boas práticas no processo de beneficiamento do produto em 2017.

Prefeitura de Tucuruí – Novos Rumos de Desenvolvimento

Secretaria Municipal de Saúde de Tucuruí

Departamentos de Vigilância Sanitária e Epidemiológica