A equipe do Centro Regional de Governo do Sudeste do Pará esteve novamente em Tucuruí, para avaliar e dar continuidade no projeto “Política Estadual de Socioeconomia, Governança Pública Compartilhada e Planejamento Estratégico Situacional”. Benjamin Tasca, representando o Centro Regional de Governo do Sudeste do Pará e Oscar Marmolejo, representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), reuniram com representantes da sociedade civil organizada do município na última sexta-feira (13).

O Pnud está inserido no Programa Pará Sustentável, desenvolvido pela Secretaria Extraordinária dos Municípios Sustentáveis (Semsu), cuja agenda de desenvolvimento é composta pelos projetos Pará Social, Pará 2030 e Pará Ambiental, além da Governança Pública Compartilhada, a partir da instalação dos Centros Regionais de Governo. O consultor Oscar Marmolejo explicou que após a consolidação dos centros, o momento é de concretizar os fóruns municipais.

A nova etapa avaliação foi classificada pelo consultor como bastante positiva. Ele avalia que aos poucos as discussões devem refletir em toda a sociedade civil de Tucuruí onde o processo está avançado. A partir de agora, a intenção é instalar o Fórum Municipal de Socioeconomia, onde as necessidades das comunidades serão apontadas dando forma às políticas públicas que construirão a agenda positiva para Tucuruí. “A expectativa é que as propostas possam dar estruturação para o Fórum e, até o início de agosto, deverá estar constituído”, explicou o consultor.

O representando o Centro Regional de Governo do Sudeste do Pará, Benjamim Tasca, explica que a iniciativa é resultado de um termo de cooperação técnica firmado pelo governo do Estado com a Organização das Nações Unidas (ONU) na implementação da Governança Pública Compartilhada e da Lei 8.602, de janeiro de 2018, que institui a Política Estadual de Socioeconomia do Estado do Pará. “Estamos com a missão de implementar a Governança Pública Compartilhada nos dois centros regionais. No Centro do Sudeste serão realizados inicialmente fóruns municipais pilotos em Marabá e Tucuruí, ampliados para Xinguara e Rondon do Pará”.

A ideia é a descentralização política visando empoderar os territórios, as municipalidades e a sociedade civil organizada, quanto à implementação de políticas públicas e aplicação dos recursos financeiros que vão ser utilizados para o desenvolvimento regional dessas regiões.

Roberto Elias de Lima, coordenador da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado do Pará (Fetraf), diz que as discussões são positivas e importantes para reduzir a desigualdade social, incluindo a população da zona rural. “Este é o momento de apresentar os problemas para que sejam corrigidos. Sabemos que é no campo e na cidade a desigualdade e acreditamos que vamos colaborar com a construção de projetos que vão melhorar a vida de toda a população de Tucuruí”.

Assessoria de comunicação | Prefeitura de Tucuruí