Força tarefa formada por 150 agentes fará o combate ao agente transmissor da dengue, zika e chikungunya.

O Departamento de Endemias de Tucuruí iniciou esta semana as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, agente transmissor da dengue, zika e chikungunya. Os trabalhos de conscientização, vistoria, controle e fumacê iniciaram na última quinta-feira (18) pelo bairro São Francisco. Todos os bairros do município serão atendidos e a Prefeitura de Tucuruí vai intensificar as ações preventivas nos bairros com maiores índices de focos.

Simião Nogueira, coordenador do Departamento de Endemias, explica que uma grande força tarefa, formada por 150 agentes, fará o combate ao agente transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Simião Nogueira, coordenador do Departamento de Endemias: mobilização da sociedade é fundamental
Simião Nogueira, coordenador do Departamento de Endemias: mobilização da sociedade é fundamental

O próximo bairro que será contemplado será o Luz e Liberdade e as ações de combate seguirão até abril. “A mobilização da sociedade é fundamental para que a campanha tenha êxito. Então, vale a repetição das informações: elimine a água parada, evite a água acumulada, vistorie as caixas d’água, dentre outras ações de prevenção. Juntos faremos a diferença!”, enfatiza o coordenador.

150 agentes farão o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya
150 agentes farão o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya

A Secretaria Municipal de Saúde, durante o período chuvoso, vai monitorar e quantificar os índices de casos, sendo que os números de 2017 ainda não foram finalizados. “Além de monitorar, faremos um intenso trabalho nos bairros conscientizando e educando a população, visando eliminar os focos do mosquito. Além disso, faremos ações de panfletagem orientativa e palestras educativas. Os agentes de endemias passarão de casa em casa orientando e eliminando o foco do mosquito”, explica Simião.

Durante o período mais crítico, todas as Unidades de Saúde do município estarão com equipes capacitadas para realizarem o atendimento adequado dos casos suspeitos das doenças.

Por Denis Aragão | Reportagem Matheus Vale | Fotos Aldeney Moraes